7.7.15

ARTHUR RIMBAUD




Arthur Rimbaud o poeta.
O clarão do rapaz raro.

No eixo negligentemente
sensível do olhar

as vogais inomináveis
alumiando a inteligência.

No auge da vida breve
a alma cega de prazeres
                                       
seus líquidos versos.

J. Alberto de Oliveira