23.5.16

SEM EIRA NEM BEIRA




Os beijos intuitivos do bem-querer
acendiam-me anseios de ver.

Apuravam o interior dos versos que nunca ditei.

Ainda hoje lembram as veredas
por onde sempre andei

como se fosse um andarilho sem eira nem beira.

J. Alberto de Oliveira