12.7.12

A NATUREZA DA ÁGUA




Para beber a natureza da água
ouve primeiro os seus segredos.

Intui os sentidos da boca ávida
ou sonha perto do silêncio.

No dialecto arcaico da infância
depura as imagens que amas.

E soletra docemente.
Soletra muitíssimo devagar

o clarão que ainda falta
ao vórtice da paixão da água.

J. Alberto de Oliveira